Projecto LAR

Em agosto de 2019 a Go Limpets iniciou um novo projeto de investigação que visa aprofundar o conhecimento sobre o ciclo de vida de espécies de lapas da Madeira e fará experiências de cultura. Este projeto, denominado de “LAR – Lapas em Aquacultura Regional”,  é cofinanciamento pelo Programa PROCiência 2020, que no Sistema de Incentivos à Produção de Conhecimento Científico e Tecnológico da Região Autónoma da Madeira tem como eixo prioritário “Reforçar a Investigação, o Desenvolvimento Tecnológico e a Inovação”. O investimento elegível aprovado é de 1.040.879,00 euros.

A empresa Go Limpets é a entidade coordenadora do projeto, que tem como parceiro científico a Agência Regional para o Desenvolvimento da Investigação Tecnologia e Inovação (ARDITI) e com os trabalhos de investigação a decorrer no Centro de Maricultura da Calheta, da Direção Regional de Pescas.

No âmbito do LAR pretende-se completar as peças do puzzle em falta para as espécies Patella aspera e Patella candei, estabelecendo protocolos de produção para cada uma das etapas do ciclo de vida com elevadas taxas de sobrevivência. Aos estudos de biologia das espécies a realizar irão seguir-se experiências em laboratório que permitam estabelecer as melhores condições zootécnicas para a manutenção, reprodução e crescimento de lapas em cativeiro e desenvolver os protocolos necessários para a sua produção em larga escala.Para esse efeito, o programa de trabalhos prevê a construção de uma maternidade para a produção de larvas de lapas e diversos ensaios de cultura de indivíduos juvenis até ao tamanho adulto.

O projecto LAR visa criar os mecanismos para satisfazer uma necessidade de mercado de uma forma ética, ecológica e sustentável. Acreditamos que com este projecto trazemos um valor social, com impacto direto de trazer uma produção aquícola na Madeira e a criação de novos empregos nas pescas. Com o sucesso na criação destes moluscos em cativeiro iremos abrir portas a profissionais de toda a gama de escalões, desde empregos qualificados (mestre e doutoramento) envolvidos na manutenção e optimização do ciclo de vida da lapa, expansão de espécies a cultivar, etc; a emprego não qualificado para toda a atividade de apoio e tratamento dos moluscos, distribuição logística e comercial.

O valor ecológico centra-se na preservação dos recursos naturais e ajudará a restringir a pesca furtiva e excessiva destes moluscos. Esta redução na captura selvagem ajuda a proteger o ecossistema, mantendo um número natural de moluscos indígenas na costa e tornando o ecossistema marinho da Madeira mais resistente a espécies invasoras nas águas do Atlântico Norte.

A sustentabilidade pós projecto vem através do aumento de produção do demonstrador para uma dimensão comercial, e expasão da produção para outras ilhas da Macaronésia.

Concluindo, este é um projeto que promove a investigação do ciclo de vida das lapas e o potencial desenvolvimento industrial do cultivo desta espécie, de grande consumo regional assegurado e com possibilidade de exportação.

Sobre o projecto também na comunicação social:
Diário de Notícias da Madeira
Radio Televisão Portuguesa Madeira